AOS IRMÃOS INTERNAUTAS

        Queridos irmãos Internautas: Jesus nos abençoe!
        Em nosso post desta semana, gostaríamos apenas de passar à reflexão de vocês — de vocês que não têm medo de pensar! — alguns pontos que julgamos de suma importância para nossa melhor compreensão da Vida — sem dogmas e sem qualquer receio de crítica dos que, infelizmente, ainda se prendem à Ortodoxia da Fé, esquecidos de que a Fé, proclamada por Allan Kardec, é fruto da Razão.
       Em “O Livro dos Espíritos”, na questão 180, o Codificador indaga:  — “Ao passar deste mundo para outro, o espírito conserva a inteligência que tinha aqui?” Atentemos — mas atentemos mesmo — para a resposta: — “Sem dúvida, pois a inteligência nunca se perde. Mas ele pode não dispor dos mesmos meios para a manifestar. Isso depende da sua superioridade e da idade do corpo que adquirir”. (o grifo é meu)
       Em termos de reencarnação, o que nos sugere pensar: “… e da idade do corpo que adquirir”?
       Em seguida, na questão de número 183, o Codificador volta a perguntar:  — “Passando de um mundo para outro, o espírito passa por nova infância?” Vejamos a resposta que, igualmente, não deixa de ser intrigante: — “A infância é por toda parte uma transição necessária, mas não é sempre tão estúpida como entre vós”. (tornei a grifar)
       Aviso aos “patrulheiros” que não estou inventando nada! Se tiverem em casa um exemplar de “O Livro dos Espíritos”, é só conferir e… estudar!
       Como se tal não bastasse, Chico Xavier, que era médium e profeta, disse o que foi anotado por R. A. Ranieri, em sua obra “Chico Xavier, o Santos de Nossos Dias” — várias pessoas ouviram o que Chico falou e que, por vezes, repetia: — “Olhe, gente, a Ciência vai desenvolver o ser humano no laboratório. Eles (os cientistas) vão fabricar um enorme útero no laboratório e aí dentro vão gerar o ser. Levarão talvez de duzentos a quatrocentos anos, até conseguirem realizar. Mas vão realizar. Aí libertarão a mulher do parto.
— E tem outra coisa. Nesse útero, os espíritos vão reencarnar, tudo direitinho, sem problema.(grifei) Esse fato não vai alterar coisa alguma: a Ciência vai conseguir isso. Ora, o avanço da Ciência é obra da Espiritualidade através dos missionários.
Creio que já seja bastante material, não?
Como é que, diante de tais declarações, os ortodoxos vão explicar o processo da reencarnação, que nem sempre acontece de maneira tão bonitinha como no caso de Segismundo, narrado por André Luiz? (vide “Missionários da Luz”)
       E outra: Como entendermos a postura de certos companheiros de Doutrina, muitos deles médicos, inclusive, contrariando o avanço da Ciência?
Nós, os espíritas, não somos “donos” da Reencarnação!
       Na magistral Introdução que escreveu para “O Livro dos Espíritos”, Kardec considerou: “Necessita-se de anos para fazer-se um médico medíocre e três quartas partes da vida para se fazer um sábio (em minha opinião, Kardec aqui foi excessivamente generoso), mas quer-se obter em algumas horas a Ciência do Infinito! Que ninguém, portanto, se iluda: o estudo do Espiritismo é imenso; liga-se a todas as questões da Metafísica e da ordem social; é todo um mundo que se abre ante nós. Será de espantar que ele exija tempo, e muito tempo, para a sua realização?”
Em Kardec, nem tudo está explícito — o próprio Codificador sabia disso, menos alguns adeptos da Doutrina que enchem o peito para dizer: — “Se não está em Kardec, é antidoutrinário!…
       Desculpem-me, mas haverá pranto e ranger de dentes!…

Anúncios