15/12/2009

 

          Continuando o estudo do mesmo capítulo de “Nosso Lar”, que abordamos na semana passada, reparemos o seguinte: Depois de ver Lísias tocar a campainha, André adentra a casa deste e, sumariamente, começa a descrever o seu interior.
“Entramos. Ambiente simples e acolhedor. Móveis quase idênticos aos terrestres; objetos em geral, demonstrando pequeninas variantes. Quadros de sublime significação espiritual, um piano de notáveis proporções, descansando sobre ele grande harpa talhada em linhas nobres e delicadas”.
O que a existência de um piano (será que era um piano “desencarnado”, vitimado pelos cupins?) nos leva a deduzir? – se eu estiver errado, por favor, me corrijam. Vamos lá. Um piano no Mundo Espiritual nos leva a deduzir que:
– existe música no Mais Além,
– atuam compositores,
– realizam – se concertos,
– trabalham fabricantes de instrumentos musicais, etc.
Um pouco mais adiante, Iolanda, a filha de Laura e irmã de Lísias, que viera recepcionar o novo amigo, exibe a André Luiz alguns livros – sim, livros! O que a existência de livros (a não ser que também sejam livros “desencarnados”, como muitos que as traças destruíram em minha biblioteca!) pressupõe existir na colônia espiritual de “Nosso Lar”? Relacionemos:
– escritores e editores,
– uma literatura própria,
– bibliotecas,
– enfim, gráficas!
A surpresa maior, no entanto, ainda estava por vir. Vejamo-la:
“Em seguida, chamou-me Lísias para ver algumas dependências da casa, demorando-me na Sala de Banho, cujas instalações interessantes me maravilharam. Tudo simples, mas confortável”.
Vocês leram bem? “Sala de Banho”! Por outras palavras: “banheiro”! Será que inclui um vaso sanitário “desencarnado”? Ou para simples decoração da casa? Ou, ainda – como muitos dizem –, fruto criativo da mente? Mas, afinal, sobre a Terra o que não será criação da mente? Tudo é criado pelo pensamento e materializado com o concurso das mãos, correto?
No entanto, sem maiores delongas, a existência de um banheiro na casa de Lísias – com banheira, chuveiro, vaso sanitário e tudo – nos leva a concluir o quê? É justamente aqui que a minha missão termina. Continuem vocês, sozinhos, pois que estou cansado de ser chamado de herege e mistificador!
Apenas combatendo as mentes mais poluídas, que devem estar se entregando a divagações horrorosas, direi que a existência de um banheiro no Outro Lado da Vida nos induz a refletir sobre a fisiologia do perispírito! Além, é óbvio (não resisti!), de admitir a possibilidade – pelo menos a possibilidade – de espírito tomar banho! Ora, se ele toma banho, é porque o corpo espiritual também está sujeito a sujar-se. Ou não?!
Paro por aqui, com o meu abraço.  E vocês se virem…

INÁCIO FERREIRA

Uberaba – MG, 15 de dezembro de 2009.
Em tempo: Será que existe também poeira no Mundo Espiritual?…

Anúncios