Observemos o texto abaixo escrito há dois mil anos por um senador romano, que faz sua descrição de conformidade com seu entendimento intelecto moral da época.

Carta de Públio Lentulus:

Descrição de Jesus por um Senador de Roma*

"CARTA DE PÚBLIO LENTULUS AO IMPERADOR TIBÉRIO CÉSAR".
Eis aqui, enfim, a resposta que com tanta ansiedade esperáveis. Ultimamente apareceu na Judéia um homem de estranho poder, cujo verdadeiro nome é Jesus Cristo, mas a quem o povo chama "O Grande Profeta" e seus discípulos, "O Filho de Deus". Diariamente contam-se dele grandes prodígios:
ressuscita mortos, cura todas as enfermidades e traz assombrada toda Jerusalém com a sua extraordinária doutrina.
É um homem alto e de majestosa aparência; sua face, ao mesmo tempo severa e doce, inspira respeito e amor a quem a vê. Seu cabelo é da cor do vinho e desce ondulado sobre os ombros; é dividido ao meio, ao estilo nazareno; sua fronte, pura e altiva, sua cútis pálida e límpida; a boca e o nariz são perfeitos; a barba é abundante e da mesma cor dos cabelos; as mãos, finas e compridas; os braços, de uma graça encantadora; os olhos azuis, plácidos e brilhantes.
É grave, comedido e sóbrio em seus discursos. Repreendendo e condenando, é terrível; instruindo e exortando, sua palavra é doce e acariciadora. Ninguém o viu rir, mas muito o têm visto chorar. Caminha com os pés descalços e a cabeça descoberta. Vendo-o à distância, há quem o despreze, mas em sua presença não há quem não estremeça com profundo respeito.
Quantos se acercam dele, dizem haver recebido enormes benefícios, mas há quem o acuse de ser um perigo para Vossa Majestade, porque afirma publicamente que os reis e os escravos são todos iguais perante Deus."

Alguns amigos já me confessaram que choraram ao ler essa descrição tão bela, da Luz do Planeta.

Até hoje sua palavra ecoa em nosso entorno, mesmo que não possamos percebê-la, ele nos invade de forma complexa nos fazendo crer que a vida é bem maior que hoje vivencíamos.

Oh! Jesus amado, por onde tu andas que sempre escuta nossas preces, que sempre remedia nossas vidas, onde estás? tão perto, que percebe nossas angústias e, nos socorre, muitos te desconehecem por que no fundo não querem ajuda, querem se auto punir.

Mas quem és tu senhor, que recusou ser chamado de bom e, disse apenas ser o caminho a ser seguido, ser apenas o pastor, dessas pobres almas tão sedentas de Amor.

O Amor tu nos ensinastes como encontrar, o problema é que agente se compraz, ainda na dor e , sofrimento que traduzem o nosso orgulho e o egoísmo.

Quem és tu, que nos Ama indistintamente, que não tem nenhum tipo de preferência, desde o mais rico ao mais pobre, socorre, por entender que somos todos teus irmãos, quem és tu, que jamais cansa de nos Amar, que nunca desiste de nenhum de nós.

Quem és tu, que em nome de uma grande missão desce sobre a Terra, para demonstrar tudo que falava, quem és tu, meu amado, que nunca foi filho predileto do Pai, mas é o filho prodigioso que veio nos iluminar as nossas vidas.

Quem és tu, que ampara a todos esses que um dia te fizeram sofrer, tu que nada merecia.

Quem és tu, que nos ampara em nossas dores, para que possamos fugir, acabar com nossas ilusões.

Quem és tu………………………………………………………………………

Quem és………

 

Que um dia possamos entender, o mestre do Amor e, descobrir que amar o próximo e a nós mesmos é o caminho da felicidade.

Que tanto buscamos e, não entendemos onde encontrá-la.

 

Que a Paz e a harmonia do mestre nos guie em nossos caminhos.

 

 

 

 

*Fonte: Manuscrito arquivado na Biblioteca da Ordem dos Lazaristas em Roma.

Anúncios