1.Caro Geraldo, os exemplos de amor deixados por Chico Xavier parecem vivos como sempre no coração daqueles pessoas que tiveram a alegria de conviver com ele. Você é uma delas. Como foi viver de perto com Francisco Cândido Xavier?

    RESPOSTA :  Quando convivi mais de perto na intimidade de sua casa de Uberaba, por várias ocasiões assistíamos juntos na casa de Vivaldo da Cunha Borges, meu cunhado que com Chico morava, as fitas em VHS de filmes que faziam a alegria de Chico como foi o caso de Ghost, Jornada nas Estrelas e muitos mais.

   Conversávamos longamente nas madrugadas sobre os temas mais interessantes, com ele sempre nos contando casos curiosos e impressionantes que ocorreram com ele ao longo de sua vida. Ele era de um bom humor extraordinário, sempre pronto a nos trazer notas de alegria e reconforto. Eu diria que Chico tinha os pés no chão, o coração junto de todos nós em atenções, cuidados e afetos puros, e os olhos fixados nas estrelas do firmamento!

   Acompanhávamos às vezes as suas tarefas do correio, quando o ajudávamos a subscritar caixinhas de mensagens endereçando-as aos seus amigos espalhados por todo o Brasil. Chico psicografava em casa usando um gravador com fitas de música clássica que nós, os amigos, lhe ofertávamos ou que ele mesmo mandava comprar. Apreciava muito os compositores clássicos românticos como Beethoven, Lizt, Chopin, Mendelsson, Brahms e também os mais recentes Sibelius, Mahler, Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazaréh, e Heitor Villa Lobos, as músicas de canto popular e uma vez ele nos contou que a sua música preferida era o Hi Lily, Hi Lo de um compositor norte-americano. Chico também apreciava muito a música popular brasileira, com grande simpatia por Roberto Carlos e a jovem guarda.

   Quanto ao cinema meus tios avós costumavam relatar que Chico adorava ir ao cinema de Pedro Leopoldo acompanhado dos amigos e depois se reuniam todos em sua casa ou na casa de André Luiz seu irmão para os comentários. Era de se ver Chico pedindo a meu tio avó Walter Machado, que sempre teve dotes artísticos, para que ele desenhasse os artistas de Holywood, no que era atendido com prazer.

   Todas as pessoas que foram ligadas ao coração de Chico Xavier nas cidades de Pedro Leopoldo, Belo Horizonte e Uberaba atestam que com cada uma delas Chico partilhou o seu amor, a sua bondade natural, a sua alegria espontânea, a sua solidariedade incondicional. Todos são unânimes em afirmar isto, que o amor ao trabalho, a dedicação ao Evangelho de Jesus e à Doutrina Espírita foram suas características mais marcantes, e em especial a sua caridade aliada a uma disciplina impecável para com o serviço da consolação e da esperança. Chico Xavier espalhava alegria por onde passava, com seus casos e anedotas, a rir-se de si mesmo, transformava-se na alegria de todos nós.  Ao mesmo tempo era de se ver sua seriedade quando os nossos postulados espíritas cristãos estavam em jogo. Firmeza de caráter e coerência de sentimentos com a luz da razão esclarecida !

Para nós Chico Xavier é um verdadeiro Apóstolo do Cristo nos tempos modernos.

2. Fala-se aos quatro cantos sobre a previsão do calendário Maia, que vaticina que o dia 22 de Dezembro está marcado para uma grande catástrofe. No livro: " Não será em2012", você fala de uma previsão revelada a Chico Xavier, que desdiz as previsões maias. Você pode nos falar sobre ela?

    Resposta : Só esta pergunta caro Ari Rangel já dá um livro. De fato em nossas conversas com Chico Xavier ele jamais se referiu à data de 2012 como uma data importante. Nunca ouvi nada a respeito de 2012 da boca de Chico Xavier. Agora nós conversávamos muito acerca da transição planetária do mundo de provas e expiações que estamos deixando de ser para o mundo de regeneração que um dia seremos plenamente. Como isto é da ordem da Vontade Soberana de Deus, nada nem ninguém poderá impedir esta transformação do planeta Terra e o seu ingresso definitivo na comunidade dos planetas em regeneração, a caminho da comunidade dos planetas felizes. Claro que isto é um longo processo que não começou hoje e ainda vai durar muito tempo. As datas somente servem para que tenhamos referências fundamentais à nossa jornada terrestre, sendo sempre relativas ao ponto de vista do observador. Chico Xavier nos contou que aquela reunião prevista por Emmanuel no livro A CAMINHO DA LUZ para o século XX, que reuniria os espíritos angélicos de todo o sistema solar nas cercanias da Terra, na realidade já tinha acontecido em Julho de 1969 quando o homem foi à Lua pela primeira vez. Esta conversa nós tivemos em 1986, portanto já passados 17 anos do ocorrido. Assim, tanto Emmanuel quanto o próprio Chico Xavier já tinham conhecimento sobre o que havia sido decidido por Nosso Senhor Jesus e seus pares crísticos do Sistema Solar a respeito do futuro da Terra. Pois bem, segundo Chico Xavier as potências angélicas decidiram dar à humanidade terrestre uma moratória dos processos cármicos de resgates coletivos já programados para o final do século XX, e assim possibilitar-nos um prazo extra de 50 anos, contados a partir de Julho de 1969, e portanto a findar-se em Julho de 2019. Neste período de exceção, que o Chico nos disse estar previsto no apocalipse de João como a undécima hora ou a hora derradeira, todos seriam novamente convocados ao Bem, à Verdade, ao Amor, à Fraternidade, à própria espiritualização, como uma última chance de optarmos voluntariamente pelo melhor caminho. Se nós conseguíssemos atravessar este período todo até 2019 sem uma guerra nuclear, esta foi a única condição imposta pelos nossos Dirigentes de Mais Acima, nenhum de nós poderia prever os avanços que se dariam a partir de então segundo Chico Xavier. Tudo isto está relatado por mim e por Marlene Nobre no livro NÃO SERÁ 2012 e também no DVD especialmente gravado para a ocasião da entrevista.

Agora, se por infelicidade de nossas nações mais poderosas e cultas, nós nos lançássemos a uma guerra atômica, de consequências devastadores e imprevisíveis, aí sim, infelizmente, as determinações da Misericórdia Celeste seriam suspensas para que a Justiça Divina nos cobrasse os pesados débitos cármicos coletivos que nós na Terra acumulamos ao longo de milênios de crimes, violência, guerras e disputas inúteis. Neste caso segundo Chico Xavier a humanidade terrestre sofreria muito, não somente com a chamada III Guerra Mundial que poderia surgir do Oriente Médio, mas e principalmente porque as entranhas da Terra se abririam em cataclismos espetaculares, como terremotos gigantescos e a explosão de vulcões há muito extintos, levando-nos a sofrer pesadas perdas coletivas. A própria Terra, cansada dos abusos humanos, é que poria fim à guerra, levando com o seu basta grandes somas de desencarnações coletivas e tornando o hemisfério norte da Terra praticamente inabitável, razão pela qual grandes correntes migratórias do norte para o sul direcionariam grandes populações sobreviventes para o Brasil, a América do Sul, a África do Sul e a Austrália.

Neste último caso o mundo de regeneração custaria muito mais a vir, e poderia demorar outros 1000 anos, tendo em vista que gastaríamos várias encarnações para reconstruir o que fora destruído.

De qualquer modo contudo o Brasil vai desempenhar a sua função cósmica de coração do mundo e pátria do Evangelho, função esta outorgada pelo próprio Criador e revelada pelo Cristo a Ismael, conforme nos relata Humberto de Campos no livro Brasil, Coração do Mundo e Pátria do Evangelho.

Sugiro que os amigos estudiosos do assunto se detenham nos capítulos do livro A GÊNESE de Allan Kardec que falam sobre o fim dos tempos, o sinal dos tempos e a teoria da presciência, para maiores subsídios doutrinários sobre o tema. Igualmente se detenham no livro A CAMINHO DA LUZ e HÁ DOIS MIL ANOS de Emmanuel, este último na fala de Jesus aos martirizados em Roma junto com Lívia. Temos nos citados livros importantes revelações que corroboram as previsões de Chico Xavier.

3. O que esperar do futuro se os homens mantiverem a sensatez da paz?

    Resposta : Segundo Chico Xavier pessoalmente nos contou, se os homens de responsabilidade nas nações mais desenvolvidas e cultas de nosso planeta Terra conseguirem fazer com que superemos as nossas diferenças, evitando uma guerra de destruição nuclear, até a data de Julho de 2019, nenhum de nós poderá prever a rapidez do avanço que se dará a partir daí. Segundo ele, vencido este prazo estabelecido por Nosso Senhor Jesus Cristo como um período probatório de nossa boa vontade em progredir em paz, a Humanidade terrestre experimentará avanços assombrosos no campo das ciências, das artes, da espiritualidade e das religiões, sem contar os avanços sócio-econômicos que teremos, em benefício de nossa coletividade planetária. Como vemos, o Cristo não nos pede muito. Exige de nós, para que nos acerquemos dessas bençãos incontáveis do progresso real, apenas que nos mantenhamos em paz uns com os outros, sem nos aventurarmos a uma guerra atômica !

4. E o Brasil, segundo as assertivas deixadas pelo Chico, como fica?

Resposta :  Chico falou com muita clareza sobre os dois caminhos que poderemos percorrer. O primeiro o da paz pelo qual atingiremos mais rapidamente o mundo de regeneração a partir de 2019, e o segundo, pela guerra, quando então pesados cataclismos retardarão a nossa marcha, atrasando-a em séculos. Neste último caso é triste pensarmos na divisão da pátria brasileira como previu o Chico, você não acha ? Mas temos de raciocinar que os desígnios da Providência Divina são insondáveis. O que nos parece um mal, a princípio, poderá mais tarde ser interpretado como um grande benefício. De outra sorte, penso que a migração em massa de outros povos, tão diferentes em termos socio-culturais de nosso povo, poderá se configurar em uma importante enxertia de vida nova, incorporando valores importantes à pátria brasileira. De nossa parte teremos a oferecer ao mundo até agora tão distante dos ensinos da espiritualidade um verdadeiro tesouro do espírito imortal que é a Doutrina Espírita com as noções do Evangelho de Jesus Redivivo para a contemporaneidade. É por esta razão que Emmanuel escreveu certa feita através de Chico Xavier a frase inesquecível que está inserida no livro DEUS CONOSCO :

"É preciso dar espírito ao gigante!" em se referindo ao gigante Brasil. Então meditando nisto ficamos pensando : Por que o Espiritismo veio frutificar tanto em terras brasileiras, em detrimento de outras partes do globo e até mesmo de seu berço europeu ? O que levou o plano espiritual a carrear para cá os seus maiores esforços ? Por que razão o Consolador encontrou aqui terreno fértil na mediunidade missionária ? E continuando a meditar sobre o tema penso que não somos um povo melhor do que nenhum outro, temos nossos problemas graves de organização social e política, nossas desigualdades escandalosas, nossas mazelas morais como qualquer outro povo do planeta. Então porque é que o Espiritismo teve força em nossas terras ? Será que exatamente pelo futuro que nos aguarda como refúgio dos imigrantes ? Parece-nos muito lógica esta previsão.

Embora muita gente tenha estranhado o tema provável divisão do Brasil, outras pessoas deram testemunho sobre esta fala do Chico.  A própria Dra. Marlene entrevistou nossa cara Neusa Arantes, em meados da década de 1990, e Neusa fez referências a esta previsão do Chico sobre a divisão do Brasil no caso de acontecer uma guerra nuclear. Esta entrevista foi também publicada pela Folha Espírita. Recentemente o nosso caro confrade Cezar Carneiro de Uberaba, um dos biógrafos de Chico Xavier, escreveu um artigo muito interessante, e o distribuiu pela internet, em que relata ter presenciado junto de outros confrades o Chico fazendo referência a isto.

O próprio Chico, de forma delicada, deixou várias pistas sobre o assunto. Em 1979 no livro PLANTÃO DE RESPOSTAS respondendo a uma pergunta sobre o futuro do Brasil ele afirmou : "Segundo contou-nos o espírito de Emmanuel, não apenas na parte financeira que avançaremos, vindo a nos tornar se Deus o permitir a grande potencia economica do mundo, mas sobretudo no aspecto moral, quando o mundo mergulhar na sua grande e dolorosa prova, ao Brasil estará destinado suportar com amor e brandura os ensinamentos mais belos e firmes do Cristo." Porque será que o Chico usou a expressão

" O Brasil estará destinado a suportar" ? Suportar o quê ? Para nós ele revelou : suportar a invasão!  Existe uma entrevista de Chico Xavier à Revista da LBV da qual Chico diz em uma das respostas dadas que o Brasil tem capacidade para acolher 900 milhões de pessoas. Segue o link da entrevista: http://www.fraternidaderamatis.org/ramatis/preciosidades/EmmanuelRa…

Nela Chico Xavier diz : " Não podemos olvidar que a Europa, superalfabetizada, se encontra num carma de débitos clamorosos, à frente da LEI, em dolorosa expectação, para o reajuste moral que lhe é necessário.  Aqui mesmo, no Brasil, uma nação com capacidade de "ASILAR" 900 milhões de habitantes, em quatrocentos e alguns anos de evolução, mal estamos passando das faixas litorâneas. Serviços imensos esperam por nossas almas no futuro próximo. E se é verdade que devemos aguardar, em nome de Nosso Senhor Jesus Cristo, condições mais favoráveis de estabilização da saúde humana, para o acesso mais fácil à fonte da ciência, ; se nos compete a obrigação de esperar o melhor para o dia de amanhã, cabe-nos, igualmente, o dever de não olvidar que, junto desses direitos, responsabilidades constringentes contam conosco, para que o Mundo possa, efetivamente, atender ao programa Divino, (…) através dos nossos corações, chamados a plasmar uma vida, que seja realmente digna de ser vivida, por aqueles que nos sucederão nos tempos duros."

Esta entrevista foi confirmada pelo pesquisador e orador Haroldo Dutra Dias, em uma palestra disponível em alguns sites da internet cujo título é  APOCALIPSE – MITOS E VERDADES,  na qual Haroldo afirma que foi até a sede da LBV e ouviu a gravação da entrevista do Chico.

Podemos considerar que se Chico afirmou que o Brasil poderia acolher, ou melhor asilar 900 milhões de pessoas, muito provavelmente ele não estava se referindo ao crescimento populacional de nossa gente. Lembrando que a população Brasileira hoje gira em torno de 170 milhões, daí para 900 milhões é uma enorme diferença. Vale a pena refletir sobre este desafio que o Chico nos lançou : de onde virão os 730 milhões de novos habitantes do Brasil que o Brasil terá de asilar ?

5. Mudando um pouco o foco, gostaríamos de ouvir a sua opinião sobre o atual movimento espírita. Estamos no caminho certo?

  Resposta :  Prefiro me abster de opiniões pessoais para citar o benfeitor da mãe de Chico Xavier, Dona Maria de São João de Deus, que escrevendo ao filho nos idos dos anos 30, mensagens que depois foram transformadas no excelente livro CARTAS DE UMA MORTA, diz : " Cabe-nos operar o movimento grandioso de restauração das crenças puras!"  Não resta dúvida de que isto é o mais importante,  isto é o que é a verdadeira pureza doutrinária…A restauração das crenças puras, provenientes das fontes cristalinas da sinceridade, da honestidade, da humildade, da simplicidade comovedora da fé, do amor e da fraternidade legítimas que nos remete aos tempos primevos do Cristianismo Original. O espírito de Emmanuel no excelente livro A CAMINHO DA LUZ vai escrever em 1938 através de Chico Xavier :

" Mas é chegado o tempo de um reajustamento de todos os valores humanos. Se as dolorosas expiações coletivas preludiam a época dos últimos "ais" do Apocalipse, a espiritualidade tem de penetrar as realizações do homem físico, conduzindo-as para o bem de toda a Humanidade. São chegados os tempos em que as forças do mal serão compelidas a abandonar as suas derradeiras posições de domínio nos ambientes terrestres, e os seus últimos triunfos são bem o penhor de uma reação temerária e infeliz, apressando a realização dos vaticínios sombrios que pesam sobre o seu império perecível. Ditadores, exércitos, hegemonias econômicas, massas versáteis e inconscientes, guerras inglórias, organizações seculares, passarão com a vertigem de um pesadelo. A vitória da força é uma claridade de fogos de artifício.

Toda a realidade é a do Espírito e toda a paz é a do entendimento do Reino de Deus e de Sua Justiça. O cajado do pastor conduzirá o sofrimento na tarefa penosa da escolha e a dor se incumbirá do trabalho que os homens não aceitaram por amor. Uma tempestade de amarguras varrerá toda a Terra. Os filhos da Jerusalém de todos os séculos devem chorar, contemplando essas chuvas de lágrimas e de sangue que rebentarão das nuvens pesadas de suas consciências enegrecidas. Condenada pelas sentenças irrevogáveis de seus erros sociais e políticos, a superioridade européia desaparecerá para sempre, como o Império Romano, entregando à América o fruto das suas experiências, com vistas à civilização do porvir. Vive-se agora, na Terra, um crepúsculo, ao qual sucederá profunda noite; sim, porque depois da treva surgirá uma nova aurora. Luzes consoladoras envolverão todo o orbe regenerado no batismo do sofrimento.

O homem espiritual estará unido ao homem físico para a sua marcha gloriosa no ilimitado. Todos somos chamados ao grande labor e o nosso mais sublime dever é responder aos apelos do Escolhido. Revendo os quadros da História do mundo, sentimos um frio cortante neste crepúsculo doloroso da civilização ocidental. A noite não tarda e, no bojo de suas sombras compactas, não nos esqueçamos de Jesus, cuja misericórdia infinita, como sempre, será a claridade imortal da alvorada futura, feita de paz, de fraternidade e de rendenção."

Pedimos licença para concluir este tópico com a opinião que ouvi muitas vezes de nosso querido Chico dizendo-nos que Espiritismo é Jesus de novo para o coração do povo e tudo o que estiver fora disso é conversa fiada, é perda de tempo. Então raciocinando com ele, o movimento espírita, que é o movimento dos homens e mulheres encarnados em seu esforço de organização, não pode esquecer que tudo deve ser feito e organizado para servir ao povo, à população, carente de informações, de espiritualidade, de apoio, de arrimo, de socorro espiritual e material. O movimento espírita para refletir o Espiritismo que ele pretende representar precisa se afastar das pompas e circunstâncias e se aproximar cada vez mais do coração das massas anônimas, infelizes e necessitadas de maiores luzes, de consolação e esperança.

6.Um tema polêmico, embora irrelevante, é sobre a encarnação última de Chico Xavier. O que o amigo acha da hipótese aventada de que ele seria a reencarnação do codificador do Espiritismo?

  Resposta : Não guardo nenhuma dúvida de que Chico Xavier é de fato a reencarnação do codificador Allan Kardec, uma vez que ele mesmo mo confirmou isto. Para não nos alongarmos muito sugiro aos mais interessados em pesquisar a verdade dos fatos que conheçam a excelente obra do ex-presidente da Federação Espírita do Estado de Goiás, nosso confrade Weimar Muniz de Oliveira, que em 2006 editou o excelente livro A VOLTA DE ALLAN KARDEC, com diversos testemunhos e depoimentos de inúmeras pessoas da convivência mais próxima do Chico. Há também o livro de Adelino da Silveira, KARDEC PROSSEGUE, o primeiro a assumir publicamente a tese de Chico ser Kardec reencarnado, publicado em 1992, e que o próprio Chico autografou aos amigos, distribuindo-o com alegria. Eu mesmo recebi dele 2 exemplares do KARDEC PROSSEGUE autografados.

7. Sabemos que você está à frente da "Casa Chico Xavier", que tem o nobre objetivo de aproximar ainda o grande público dessa vida ímpar que foi Chico Xavier. Como ela funciona?

  Resposta :  Logo após a desencarnação de Chico Xavier fomos procurados em Belo Horizonte por sua sobrinha Maria Lúcia Ferreira Gonçalves, filha de Dona Luiza Xavier, irmã querida de Chico Xavier, que como herdeira dos bens de Chico Xavier desejava alienar a casa que lhe pertenceu em Pedro Leopoldo. Ela me disse ter certeza de que Chico ficaria feliz se a casa ficasse aos nossos cuidados, e assim efetivamente acabei por adquiri-la em 2004 comprometendo-me a preservá-la para a posteridade. Depois de algum tempo de reformas, quando contamos com a ajuda gratuita da arquiteta Mary Machado de Faria e de sua equipe, pudemos reinaugurar a casa que Chico Xavier construiu em 1946, para onde se mudou em 1948 e onde viveu até 1959, mantendo-a ainda em sua posse até a sua desencarnação em 2002. Desde o dia de sua reinauguração em 2 de Abril de 2006 ela funciona na cidade natal do médium querido como um Centro de Referência à sua vida e obra. No decorrer dos últimos 7 anos mais de 100.000 visitantes já passaram por ela e assinaram o livro de presenças, provenientes de todas as partes do país e do mundo. Isto sem contar aqueles que naturalmente se esquecem de registrar sua presença.

   Lá temos uma suíte fotográfica do médium, objetos de seu uso pessoal, o quarto de dormir e o banheirinho que era utilizado por ele totalmente preservados, uma exposição dos 464 livros já publicados de sua psicografia, além de mais 210 livros biográficos ou que se referem à sua vida e obra, uma sessão com alguns primeiros exemplares de primeiras edições, cartas manuscritas, mensagens, cartões, CD’s, DVD’s, revistas, títulos de cidadania honorária, e inúmeras traduções de suas obras para o Italiano, o Espanhol, o Inglês, o Francês, o Alemão, o Esperanto, o Sueco, o Russo, o Grego e o Japonês.

   Na Casa de Chico Xavier realizamos todos os domingos às 18 horas o Culto do Evangelho no Lar com o estudo de suas obras, e presentemente estamos estudando OS MENSAGEIROSde André Luiz. Também quinzenalmente às terças-feiras lá se reúne o Grupo Fraterno Veneranda que congrega companheiros de todos os centros espíritas de Pedro Leopoldo em demanda às regiões mais distantes e carentes do centro da cidade para o serviço de assistência fraterna e a distribuição de alimentos, roupas, brinquedos e artigos de primeira necessidade. Na casa também todos os domingos às 15 horas temos um curso de Esperanto, dirigido pelo nosso caro Professor Alberto Chueiri. Às últimas quartas-feiras de cada mês, às 20 horas, durante todo o ano de 2012, teremos lá as Reuniões de Estudos Lítero-musicais sob a coordenação do confrade Denilson Silva, estudando as implicações da arte espírita e apresentando os nossos artistas e suas belas composições.

Além disso, temos o departamento editorial da Casa de Chico Xavier que é a Editora Vinha de Luz, que vem se especializando na publicação de obras ainda inéditas da psicografia de nosso amado Chico, ou novas biografias que se referem à sua vida e obra exemplares. Já contamos com um acervo de 20 obras editadas e os amigos poderão conhecê-las através do sitewww.vinhadeluz.com.br

   A Casa de Chico Xavier está aberta à visitação pública de terça-feira aos domingos, de 9:00 às 12:00 horas e de 15:00 às 19:00 horas e a entrada é gratuita. Pela internet o visitante pode acessar a Casa no site http://www.casadechicoxavier.com.br

8. Como o amigo vê a Divulgação da Doutrina, atualmente?

  Resposta : Nós atingimos hoje, especialmente graças à repercussão do centenário de Chico Xavier, uma fase em que a divulgação da Doutrina Espírita tem atingido a grande massa, seja pelo livro, pelo teatro, pela televisão, pelo rádio, pelo cinema, pelos jornais e periódicos, e pela internet, enfim pela multimídia. Eu me lembro de uma ocasião no início da década de 80 quando o Chico virou-se para mim e me perguntou : Geraldinho, você sabe me dizer o que é multimídia ?

E eu ali fiquei gaguejando sem saber ao certo o que responder ao Chico. Em seguida eu lhe perguntei o porquê dele me indagar a respeito e ele me respondeu : Porque os espíritos estão me dizendo aqui que chegará o dia em que a Doutrina Espírita será divulgada em multimídia e nós precisamos nos preparar para ela !  A previsão do Chico se concretizou, mas será que nós espíritas estamos preparados para receber o grande público ?

9.No livro: "Mensagens de Inês de Castro", de Caio Ramacciotti com a sua parceria, nós encontramos a história de várias reencarnações: Isabel de Aragão, Batuíra, Caroline Baudin, Pedro I, etc. Por que tanto tempo para ele vir à lume?

  Resposta : O nosso estimado amigo Caio Ramacciotti, a quem prezamos com profunda amizade 

  e reconhecimento como irmão dedicado e mui digno diretor do GEEM de São Bernardo do Campo, depositário fiel de mais de 85 obras da psicografia de Chico Xavier, segundo ele mesmo nos contou, guardou os originais da obra em questão desde os idos de 1977, quando Chico Xavier a psicografou, esperando o momento adequado para sua publicação. No ano de 2006, conversando conosco, ele achou por bem que era chegado o momento de trazer esta maravilha mediúnica, com os seus devidos comentários históricos, para o nosso público leitor.

10. Agora, irmão-amigo, gostaríamos que você deixasse uma mensagem aos nossos irmãos leitores, agradecendo imensamente a bondade e o carinho com que nos atendeu. Muito obrigado!

  Peço permissão para transcrever aqui a mensagem de Emmanuel, inserida no livro SENTINELAS DA LUZ : 

NAS  CONVULSÕES DO SÉCULO XXI

(UMA GRANDE INTERPRETAÇÃO DO APOCALIPSE)

Emmanuel

Não bastaram as torrentes do infortúnio que as grandes guerras do século lançaram sobre os vales do mundo.

Acordando, estremunhada, de horrível pesadelo, que perdurou por mais de dois mil dias, e embora os lares desertos, os campos talados, as arcas empobrecidas e as prisões repletas, arregimenta-se a coletividade planetária para novos embates de cegueira e destruição.

Amontoam-se pesadas nuvens nos céus do Oriente e do Ocidente…

Quem impedirá a tempestade de suor e lágrimas?!…

Época de profundas aflições, dir-se-ia encontrarmos no século XX o fruto de sangue de dezesseis séculos de menosprezo à luz espiritual.

Desde Constantino, o Cristianismo puro sofre a intromissão egoística de humanos interesses. Sempre a ofensiva das trevas contra a luz, as arremetidas do mal contra o bem.

É inegável que as instituições terrenas, não obstante constrangidas, revelam apreciáveis características de progresso.  Regressando ao cenário atual, Aristóteles, o oráculo de filósofos e teólogos, não mais aplaudiria o cativeiro, declarando o escravo "propriedade viva"; Ignácio de Loiola, o santo, a pretexto de preservar a fé, não mobilizaria os tribunais da Inquisição.

A influência do Cristianismo determinou enormes transformações na curul  administrativa. Entretanto, a dignificação da personalidade permanece apenas esboçada.

Os aviltamentos do ódio campeiam em todos os climas. Arraiga-se a injustiça, com a máscara da legalidade, nas organizações dos países mais nobres.

Há desvarios do poder em toda parte.

Baraço e cutelo, metamorfoseados nos mais estranhos aparelhos de tortura e de morte, são ainda recursos da toga.

A desconfiança e a discórdia regem as relações internacionais.

Racismo tirânico perturba povos avançados. Conflitos ideológicos tremendos aguçam o raciocínio a soldo da ciência perversa.

E, coroando o sombrio edifício, instalou-se a guerra entre os homens, à maneira de sorvedouro infernal.

O conceito de civilização flutua ao sabor dos grupos dominantes.  Para alguns, repousa na economia ou na força; para outros, no direito exclusivista ou na liberdade de praticar o mal. E, do que podemos presumir, não está próxima a equação do inquietante problema.

Há sempre volumosos contingentes para ganhar a demanda, mas raros homens se preocupam em ganhar a harmonia.

O domicílio dos homens sofrerá terríveis brechas, até que a razão se equilibre nas diretrizes do mundo.

A inteligência bestial combaterá ainda a sabedoria divina por longo tempo.

Não somos, pois, estranhos à tormenta de lágrimas, que cobrirá a fronte dos continentes em dolorosos quadros apocalípticos.  Constituímos o fruto do que fomos, colhemos na pauta da semeadura.

Nisto não vai estima às predições de Cassandra, nem barateamento às profecias.

Buscando o Cristo nos templos exteriores e expulsando-O dos corações, fora temeridade esperá-lo por salvador gratuito à última hora.

Eis porque, à frente dos atritos formidandos dos dias que passam, apelamos para os seguidores do Evangelho, a fim de que se unam no culto à religião interior.

A consciência identificada com o Mestre é refúgio indispensável.

Se as doutrinas da força somente representam a decadência das nações, por libertarem o vandalismo, restituindo o homem à animalidade primária, é justo reconhecer que a democracia sem orientação cristã não pode conduzir-nos à concórdia desejada.  Realmente, a Revolução Francesa, que inaugurou grandes movimentos libertários do Planeta, filiava-se, no fundo, às plataformas elevadas.  Objetivava o término das administrações inconscientes, o fim da ociosidade consagrada, a extinção de prerrogativas delituosas, o reajustamento do governo e do sacerdócio, em nome da liberdade, da igualdade e da fraternidade.  Muitos dos patrocinadores da renovação acreditaram-se movidos pelo messianismo evangélico; no entanto, esqueceram-se de que Jesus advogara a liberdade de obedecer a Deus contra o mal, a igualdade dos deveres para que o mérito marcasse a responsabilidade, e a fraternidade verdadeira, dentro da qual há mais alegria em dar que em receber.  Conspurcada nos fundamentos, a Revolução, desbordando nos instintos sanguinários, em breve degenerou-se nas lutas napoleônicas, estabelecendo, no mundo, as guerras odiosas de povo a povo.

Desde então, a Terra, em sua geografia política, é uma colméia desesperada, que só a cristianização da democracia poderá reajustar.

O angustioso enigma prende-se à ordem espiritual. Impraticável o erguimento do edifício sem bases. Impossível a organização de instituições respeitáveis sem sentimentos humanos dignificados.

O homem elevar-se-á com o Cristo para levantar a política até o plano do equilíbrio Divino ou a política sem Cristo, seja qual for a bandeira a que se acolhe, precipitará o homem no caos.

Este – o dilema da atualidade, em que a ventania da destruição assopra de novo…

E, não obstante edificados na certeza de que tudo coopera em benefício dos que amam a Deus, das claridade de além-túmulo, repetimos para os companheiros do Evangelho:

– Irmãos, entrelaçai os braços e uni corações, em torno do Caminho, da Verdade e da Vida! Tormentas de dor rondam os castelos da vaidade humana e gênios escuros do morticínio acercam-se das moradias sem alicerces.

Os monstros que devoraram as civilizações dos persas e dos assírios, dos egípcios e dos gregos, dos romanos e dos fenícios espreitam a grandeza fantasiosa dos vossos palácios de ilusão!… Os oráculos que prognosticaram queda e ruína em Persépolis e Babilônia, Tebas e Atenas, Roma e Cartago pronunciam angustiados vaticínios em vossas cidades poderosas…

Polvos mortíferos do ódio e da ambição desregrada multiplicam-se no oxigênio terrestre, predizendo misérias e desolação.  Trazem a fome e a peste em novos aspectos, desorganizando-vos a vida e desintegrando-vos os celeiros…

Todos vivemos tempos dramáticos de prece, expectação e vigília…

E, enquanto o aquilão da impiedade ruge destruidor, reunamo-nos na Jerusalém do íntimo santuário!…

Sigamos o Senhor na via dolorosa, como quem sabe que Ele prossegue à nossa frente, desvelando-nos o caminho da ressurreição eterna.

Vejamo-Lo, heróico e divino, em seu apostolado de sublime renúncia, vergado à cruz de nossas fraquezas milenárias…

É natural que nossos olhos espreside aos destinos, ouçamo-Lo a dirigir-se às mulheres piedosas que se lhe ajoelhavam aos pés, na cidade santa: "Filhas de Jerusalém, não chorais por mim! Chorai por vós mesmas e por vossos filhos, porque virão dias em se dirá:

– Bem aventurados os ventres que não geraram e os peitos que não amamentaram!  Clamareis então para os montes: -Caí sobre nós!  E rogareis aos outeiros:

– Cobri-nos!  Porque se ao madeiro verde fazem isto, que se não fará ao lenho seco? – EIS QUE VOLTO!  Apocalipse 22 v.20

Anúncios